Drogas Perturbadoras

Maconha, LSD, ecstasy e outros

                Algumas drogas, plantas e medicamentos podem alterar o modo como funciona nosso cérebro, produzindo manifestações como alucinações, delírio ou alteração da capacidade de avaliar distâncias e tempo (por exemplo: passaram-se horas e a pessoa imagina que se passaram apenas alguns minutos). Estas substâncias são consideradas drogas perturbadoras  do Sistema Nervoso  Central.

                Alguns usuários chamam estes efeitos de “viagem”, porque podem dar a sensação de estar em um mundo estranho. As drogas perturbadoras também são conhecidas como alucinógenas, psicodislépticas ou psicodélicas.

Alucinações: a pessoa pode ouvir ou ver coisas que não existem ou sentir na pele como se estivesse sendo tocada.

Delírios: a pessoa pode ter um julgamento errado da realidade como, por exemplo, achar que tem poderes sobrenaturais ou que está sendo perseguida, quando isto não está acontecendo.

Existem muitas plantas e substâncias que fazem parte desse grupo, entre elas:

• maconha

• ecstasy

• LSD

• ketamina

• plantas como a Datura (conhecida como trombeteira ou lírio branco, com a qual é feito o “chá de lírio”)

• alguns cogumelos (como os que crescem no estrume de vaca)

• medicamentos como triexifenidila (nome comercial Artane® )

A intensidade dos efeitos varia muito entre as drogas desse grupo:

• o LSD e a Datura produzem delírios e alucinações fortes

• maconha e ecstasy produzem efeitos mais fracos (exceto em altas doses)

                O efeito também varia de acordo com a origem da droga (se ela é pura ou misturada com outras substâncias), com os motivos do uso, a personalidade de quem usa, o ambiente e as demais pessoas presentes.

                Em função dessas características, várias plantas com efeitos alucinógenos têm sido utilizadas ao longo da história em contextos rituais religiosos, de cura ou de feitiçaria.

                 No Brasil, atualmente o uso religioso da Ayahuasca (um chá feito com a mistura de duas plantas – caapi e chacrona) está presente nos rituais do Santo Daime, no culto da União do Vegetal e em algumas tribos indígenas presentes no Brasil e países da América do Sul.

Vamos ver agora os principais efeitos destas drogas.

Maconha (Cannabis sativa)

                Maconha é o nome popular dado no Brasil para a planta Cannabis sativa, usada há mais de 12.000 anos, com finalidade medicinal, para fazer tecidos e, mais recentemente, para obtenção de prazer (ou “barato”).

Saiba que:

• as fores e folhas de Cannabis produzem mais de 60 substâncias chamadas de Canabinoides, entre as quais o tetrahidrocanabinol (THC), que é a principal substância responsável pelos efeitos no Sistema Nervoso

• Skunk é uma variedade de maconha mais forte, que possui maior concentração de THC

• haxixe é a droga extraída da resina da planta (geralmente com maior teor de THC)

                Um baseado (cigarro de maconha) tem cerca de 0,5 a 1g da erva e contém 4,5% de fHC. Quando fumado, o efeito se inicia rapidamente e atinge o máximo em cerca de 30 minutos. A redução de efeitos ocorre após 45 a 60 minutos.

Efeitos psíquicos mais importantes:

 • leve estado de euforia e relaxamento

• vontade de rir sem motivo

• pensamentos confusos

• melhora da percepção para música e sabor dos alimentos

• prolonga a percepção de tempo (minutos viram horas)

 Outros efeitos:

 • olhos avermelhados

• boca seca

•aumento dos batimentos cardíacos

Intoxicação:

 Não há registro de pessoas que morreram devido à intoxicação por maconha. Uma dose para matar por intoxicação teria que ser mil vezes maior do que a usada pela maioria dos usuários.

 Uso frequente:

                O uso frequente da maconha, por períodos grandes de tempo, pode ser responsável por uma série de problemas como:

• redução da atenção e da motivação, prejuízo da memória e da habilidade de resolver problemas – o que diminui a capacidade de aprender. O usuário pode se sentir sem vontade para fazer qualquer coisa.

•ansiedade, paranoia (sensação de perseguição), pânico, depressão – o usuário pode se sentir nervoso e perseguido ou ficar muito triste.

• sintomas físicos: redução (passageira) da fertilidade masculina, asma e bronquite, pressão alta e problemas cardíacos, entre outros.

                Há evidências recentes de que o uso de maconha está relacionado à uma doença psiquiátrica grave denominada esquizofrenia; esse fato parece estar relacionado ao uso de preparações contendo níveis mais elevados de THC e ao início de uso em idade mais precoce.Tolerância: a pessoa precisa de doses maiores para sentir o mesmo efeito.Dependência: a pessoa não consegue controlar seu uso da droga e passa a apresentar os sintomas gerais de dependência.Síndrome de abstinência: ocorre apenas para pessoas que usam maconha em altas doses e por períodos prolongados, mas não é tão clara como no caso de outras drogas como álcool, barbitúricos, opiáceos e cocaína.

Estasy (Metilenodioximetanfetamina – MDMA)

                A MDMA (metilenodioximetanfetamina) é uma substância com efeitos mistos, tanto estimulantes como perturbadores, sendo usada na forma de comprimidos conhecidos popularmente como ecstasy. Seu uso ocorre em geral em festas com muita dança e música eletrônica. Os comprimidos são produzidos em laboratórios ilegais e podem conter outras drogas misturadas ou impurezas tóxicas.

                O comprimido de ecstasy, ao ser ingerido em jejum, leva cerca de 15 minutos para alcançar o cérebro e atinge os efeitos máximos após uma hora do uso. Os efeitos duram cerca de duas a três horas. Geralmente são consumidos um ou dois comprimidos, com 60 a 120 mg cada.

                Efeitos psíquicos mais importantes:

• altera a percepção dos sentidos, principalmente audição, visão e tato

• sentimentos de harmonia e empatia em relação aos outros

• melhora o humor (sensação de felicidade)

• efeitos estimulantes (agitação) Efeitos que podem causar a morte:

• aumento da temperatura do corpo (pode chegar a 42 graus)

• retenção de urina (dificuldade de urinar)

• alteração dos batimentos cardíacos.

LSD (Dietilamida do Ácido Lisérgico)

                O LSD é considerado a mais potente (forte) droga alucinógena. É um líquido claro, usado em gotas ou “selinhos” com figuras e desenhos (pedaços de papel impregnado com LSD). O LSD é rapidamente absorvido na boca. Os efeitos surgem em cerca de 30 minutos e podem durar de 6 a 8 horas.

                Os efeitos dependem muito da situação de uso, das características da pessoa que usa e do estado de humor em que se encontra. Os usuários chamam de “boa viagem” quando têm alucinações coloridas, com visões de objetos que se movem e de figuras engraçadas, e de “má viagem” se as alucinações ou delírios são tristes ou dão medo.

Efeitos psíquicos mais importantes:

• alucinações visuais e auditivas intensas (“boa“ ou “má” viagem)

• percepção de cores e formas alteradas

• fusão (mistura) dos sentidos (sons podem ser percebidos como   cores)

• perda da capacidade de calcular tempo e espaço (distância)

• delírios

Principais riscos:

As alucinações e delírios (principalmente de grandeza e de perseguição) aumentam as chances de acidentes porque as pessoas não percebem corretamente os riscos. Por exemplo: alguém pode ter um delírio e pensar que pode voar e, de fato, se joga de uma janela, acreditando que irá voar.

Psilocibina (cogumelos)

                O cogumelo Psilocibe mexicana era utilizado por antigas civilizações (Maias e Astecas) há pelo menos 3.000 anos, em cerimônias religiosas. Existem várias espécies de Psilocibe, que possuem uma substância chamada psilocibina, responsável pelos efeitos alucinógenos. Esses cogumelos têm sido usados por jovens para ter “viagens”. São usados na forma de chá (“chá de cogumelo”) ou comidos em sua forma natural. Devido à grande dificuldade em diferenciar os cogumelos alucinógenos dos tóxicos, alguns quadros de intoxicação severa podem ocorrer.

Ayahuasca

O uso da Ayahuasca geralmente é restrito a rituais religiosos, principalmente os do Santo Daime e da União do Vegetal. O chá de Ayahuasca é feito com duas plantas:

• cipó caapi (Banisteriopsis caapi, que contém harmina e harmalina)

• folhas de um arbusto conhecido como chacrona ou rainha (Psichotria viridis, que contém uma substância chamada dimetiltriptamina – DMT)

                O uso religioso da Ayahuasca, reconhecido pela sociedade brasileira  como prática religiosa legítima, foi regulamentado pelo Conselho Nacional sobre Drogas – CONAD, através da resolução Nº 5 CONAD, de 04 de novembro de 2004, que dispõe sobre o uso religioso e sobre a pesquisa da Ayahuasca.

Anticolinérgicos

                Entre os anticolinérgicos naturais, o chá de Datura (lírio branco, trombeteira ou saia branca) é o mais comum no Brasil, podendo causar intoxicações acidentais. Também existem medicamentos como a triexifenidila (Artane) que, quando usados em doses elevadas (vários comprimidos de uma vez, geralmente de forma proposital), podem provocar alucinações intensas. São comuns sensações de perseguição e alucinações envolvendo bichos (aranhas, baratas etc.) e imagens de pessoas mortas. Por possuir esse tipo de efeito, o Artane é conhecido com o nome de “aranha”.

                Os anticolinérgicos também produzem muitos outros efeitos, como:

• aumento da pupila

• boca seca

• aumento dos batimentos cardíacos

• aumento da pressão arterial

• lenhificação do intestino

• dificuldade de urinar

Fonte: SENAD – FÉ NA PREVENÇÃO

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>